COP 15 – Chegada e Impressão dos Dinamarqueses

A primeira impressão ao chegar ao aeroporto de Copenhaguen na sexta-feira passada foi de um grupo de brasileiros chegando da escala em Paris e comentando sobre os trabalhos que eles receberam do embaixador. A COP15 já estava para começar e os secretários já chegavam para arrumar tudo para os delegados oficiais.

A impressão de que a cidade está preparada para duas semanas de conferência também está pendurada por todos os lados. Tudo indica que a preparação foi grande. Já desde o caminho do aeroporto vê-se tanto nas fachadas quanto nos jornais do metrô informações e propaganda ‘verde’. Os bares e restaurantes também trocaram as toalhas de papel por secadores de mão elétricos de baixo consumo energético. Você percebe porque eles explicam tudo, em dansk e em inglês.

Por outro lado caminhar pelas ruas e praças do centro (Størget, Konges Nytorv) neste sábado último foi como voltar a morar por aqui: bastante cheio, mas todo mundo com bastante cara de turista e clima de natal – árvores vendendo na rua, muito Glogg, etc. Enfim, fora os outdoors e algumas tendas já construídas, ainda a cidade tinha cara da Copenhaguen de sempre. Claro que olhando com um pouco mais de cuidado se pode ver na vitrine das livrarias alguns livros mais voltados para meio-ambiente e sustentabilidade, já que afinal a turma que vem visitar pode querer saber mais sobre o que anda se passando.

Fui para uma escola internacional hoje onde trabalhamos temas de sustentabilidade com os alunos dos Grades 3, 4 e 5 (vou descobrir a idade deles exata e colocar em um novo post com o que eles produziram – foi muito interessante!).

Outra coisa que ficou clara, tanto na conversa com os adultos quanto com as crianças, é que os dinamarqueses estão mais por dentro das possíveis manifestações que podem ocorrer na cidade do que qualquer outra coisa. Ao ouvir COP15, as crianças só falam sobre a quantidade de policiais que se vê pelas ruas e a possibilidade de violência (segundo elas, que não gostam nada de exagerar, tem gente com metralhadora e tudo). Conversa sobre o que essa tal de COP15 é, bom, isso não tem muito não, mas eles sabem que o Obama falou que vinha.

Enfim, estou desplugado do que acontece na televisão e nos jornais (mas isso vocês podem ver na internet, né?). Vou seguir perguntando para as pessoas o que está acontecendo por aqui e também vou contando minha impressão do clima da cidade e dos eventos paralelos que participarei.