macacos e shakespeare

Essa história é antiga e atribuída a Thomas Huxley: “Com macacos e máquinas de escrever suficiente, eventualmente eles escreverão a obra completa de Shakespeare”.

Funciona assim: imagine que você contrata uma quantidade bem grande de primatas e coloca cada um na frente de um computador (antes era máquina de escrever, mas fiz update). Se supormos que eles vão apertar as teclinhas sem parar (nem pra comer as bananas do seu pagamento) e que esse movimento é aleatório, em algum deles computadores e num momento distante um texto bonito, ou até uma obra de Shakespeare ou a Bíblia, vai aparecer na telinha.

Disseram que tentaram isso na Inglaterra, mas o que importa não é tanto o experimento e nem se esse negócio é improvável ou não, mas vi que é uma conversa legal sobre complexidade. Eis a pergunta: uma obra de Shakespeare é algo complexo, mas se fosse produzida aleatoriamente por um macaco, seria também?

Há um tempo criaram um computador que jogava tinta colorida em uma tela. Se fosse possível – mesmo que improvável – que infinitos computadores jogando tinta em infinitas telas gerasse um Miró em uma delas, um Miró produzido aleatoriamente por computador é uma obra com a mesma complexidade de um Miró do Miró?