E se educação em si for o paradigma antigo?

Faz sentido que a nossa educação seja do século retrasado se a sociedade ainda define sucesso da mesma forma que no século XIX. Mesmo que a situação econômica seja diferente e que sejamos treinados em pensamento divergente em vez de pensamento convergente… convenhamos, isso não é uma mudança de paradigma, é uma mudança de uma garrafa para outra, até porque os dois parecem igualmente válidos e, ainda que combinados, insuficientes para representar a nossa complexa capacidade de pensamento.

Sucesso não mais está relacionado a quão acadêmico você se torna, mas o quanto você sobe na escada social e, nesse paradigma, na escada econômica. Se o que torna você uma pessoa de sucesso hoje mudou, o paradigma de sermos educados não. Não faz diferença se a aula é das antigas ou com pensamento divergente. Se quem vai para a escola não define o próprio propósito de ir para a escola, o paradigma é o mesmo.

A criação de um processo educacional que define o porquê você tem que estudar ainda faz sentido com o parâmetro de sucesso da nossa sociedade atual e não vai mudar até nosso parâmetro de sucesso mudar. Educação, nesses termos, é o paradigma antigo. Não temos que aumentar o educational standart, temos é que recontextualizar os espaços de aprendizagem que criamos por definições de sucesso que combinem o coletivo e o individual do aprendiz e seu entorno.

O que fazer? Bem…

Notícias sobre o tema:
Condenado pela Justiça, casal de MG mantém filhos fora da escola

Recursos e leituras online: